Adaptação escolar… Da mãe!

Estou quase lá :)

Adaptação escolar

Vivi começou sua vidinha estudantil no ano passado. Tivemos uma adaptação escolar bem tranquila e tudo corria muito bem até a primeira gripe, que virou internação em UTI, que virou “sua filha não pode frequentar a escola”.

Este ano ela voltou à escola e nós sabíamos que se tratava de uma tentativa. Se ela voltasse a ter crises fortes, teria que voltar pra casa mais uma vez e… Acho que estávamos preparados pra isso.

Sabe para o que não estávamos preparados? Para tanto choro durante a adaptação escolar. Aliás… Eu não esperava que a adaptação fosse durar praticamente 9 meses. Chorei junto com ela (escondida, obviamente) inúmeras vezes.

Chorei ao presenciar um amiguinho (que ela gosta) dizer que não queria brincar com ela. Chorei ao ver o rostinho triste em quase todas as nossas despedidas. Chorei quando ela não pode brincar no parquinho de areia, porque estava com a mãozinha machucada (dedo esmagado + dedo quebrado, lembram?). Chorei quando ela deixou escapar um cocô, ao imaginar que aquilo pudesse ter lhe causado algum constrangimento. Olha… Chorei muito.

Hoje, pela primeira vez, Vivi me deu as costas e saiu pulando parque adentro, segurando um boneco do Homem de Ferro e uma moto super radical (como ela diz).

Ela já havia se despedido de mim sem chorar, mas se contendo, sabe? Meio que segurando a onda. Até me deu uma flor, certa vez. Hoje foi diferente… Ela estava relaxada e feliz.

Cada criança tem seu tempo e… Cada mãe também. Acho que finalmente entendi que ela fica, sim, muito bem sem a mamãe por perto. E… eu fico bem também. Ou seja: talvez quando ela tiver 57 anos nós possamos romper o nosso cordão umbilical 😳

Instagram: @blognaoeamamae

No facebook: Blog Não é a Mamãe!

Pra conversar: Grupo de Mães e Madrastas

Comente, compartilhe! :)