Ao entrar na escola, as crianças adoecem e MUITO

Quer saber quantas vezes a Vivi ficou dodoi durante o primeiro semestre? Eu te conto...

Criança gripada

Na semana em que completou dois anos, Vivi começou a frequentar o MIT a escola.

A primeira doencinha demorou quase um mês para surgir, o que me fez pensar: ô povo exagerado! Disseram que a menina iria viver doente! Taí… Só uma gripezinha.

Mas não foi bem assim e o povo não é exagerado. Vamos às estatísticas do primeiro semestre.

Relatório doençal:

25/02/14: Gripe AND asma AND super febre.

17/03/14: Gripe AND asma.

28/03/14: Gripe AND asma.

22/04/14: Asma AND febre AND início de pneumonia, com direito a internação de 6 dias na UTI.

09/05: Gripe AND asma.

03/06: Gripe AND asma.

Relatório de faltas:

Fevereiro/2014: 3 dias

Março/2014: 6 dias

Abril/2014: 9 dias

Maio/2014: 4 dias

Junho/2014: 6 dias.

Vitória tem asma desde os 9 meses e recentemente soubemos o porquê das suas crises serem tão fortes: a bronquiolite obliterante. Considerando esse diferencial agravante, posso até afirmar que ela “pouco adoeceu”, posto que não contraiu outras doenças que rolaram soltas na escola.

Como sei disso? Além do grupo das mães no WA (informação em tempo real), a escola manda circulares informando a ocorrência de doenças infectocontagiosas. Houve casos de: coqueluche, sarampo, síndrome mão-pé-boca, estomatite e milhares de viroses. Até piolho, gente! Eu achava que os piolhos haviam sido erradicados. Mas, não: eles vivem (e é na escola no seu filho).

Agora entendo perfeitamente a razão dos pediatras recomendarem que aguardemos o máximo possível para colocar os pequenos na escola/creche/hotelzinho. Mesmo assim, os ganhos são infinitamente mais significativos que as perdas.

Vivi aprendeu tanto, cresceu tanto… Minha bebê já era; tenho uma menininha cheia de opiniões, vontades e mal criações, que não deixa mais que lhe tirem um brinquedo sem pedir com educação.

Frases como “Sai, coleguinha!”,  “Não, coleguinha!”, “É minha vez!”, “Agora é sua vez!” e “Muito bem!” são comuns por aqui. O maior de todos os ganhos: rompemos (eu e ela) o nosso cordão umbilical. Ela deu um show na adaptação escolar, apesar de extremamente tímida, e se encantou por aprender.

Mãe de filhos que já estudam, boa sorte na volta às aulas semana que vem. Saúde e aprendizado sem fim para os seus pequenos!

Mãe que está aí cheia de dúvidas quanto ao momento certo de colocar o seu filho na escola/creche/hotelzinho, acalme o coração e veja quais as necessidades suas e dele. Se terminou a sua licença maternidade, você precisa trabalhar e ele não tem com quem ficar, paciência: vai para o berçário.

Se você tem uma estrutura em casa ou uma vovó que pode te ajudar, deixa a cria em casa mais um pouco, para que o sistema imunológico amadureça e ele adoeça menos quando começar a estudar.

Nesse quesito, quem manda é a necessidade.

Beijos,

Bianca.

bianca@naoeamamae.com

Instagram: @blognaoeamamae

No facebook: Blog Não é a Mamãe!

Comente, compartilhe! :)