Brincar de fazer festa

Dicas para organizar uma festinha por conta própria e com a ajuda das crianças

Que tal transformar a organização da festinha de aniversário do seu filho em uma grande brincadeira, envolvendo toda a família, inclusive os pequenos?

Virginia Ory, nossa especialista em brincadeiras, dá as dicas.

Beijos,

Bianca.

bianca@naoeamamae.com

Instagram: @blognaoeamamae

No facebook: Blog Não é a Mamãe!

Kids - aniversário

Eita coisa boa é festejar aniversário!!! O nosso, dos amigos… Dos filhos, então? Nem se fala!!! 

Adooooro festa!!! Por mim, todo mês tinha uma festa pra comemorar alguma coisa ou alguém. Adoro o clima de festa, a animação, os preparativos… Ah, os preparativos… Esses fazem a festa durar muito mais que aquelas horinhas do dia escolhido para o baile real!

Aqui em casa a festa começa bem antes da festa, se é que me faço entender, e todo mundo participa, nem que seja atrapalhando;) 

Eu sou daquelas que gosta de planejar minuciosamente os detalhes da festa, desde o tema (bem diferente, de preferência), a escolha das cores, a elaboração da arte, as lembrancinhas, a mesa do bolo, a decoração, etc, etc… E curto não só o planejamento, mas, especialmente, a feitura dos negócios! Cortar, colar, pintar, juntar coisas, separar os itens que vão nas lembrancinhas… Tudo, tudo! E os meus filhos vão na mesma vibe! Acho que está no sangue! Hihihihihi

Se a festa é da criança, nada mais justo que envolvê-la nos preparativos, certo?

Pedro 3 anos 002 (1024x1024)

Mas aí, dirão algumas mães com enxadas na mão, querendo me linchar: Isso é pra quem tem tempo de sobra e algum talento artístico!

Maaaassss, direi eu evitando o linchamento no último minuto do filme: – Também não precisa fazer isso tudo que eu falei que faço para se divertir com os preparativos da festa! UFA!

A escolha do tema, por exemplo, é uma grande diversão por si só! A criança, guiada por adultos, pode escolher o personagem que mais gosta no momento. Se a criança for muito pequena, mãe e/ou pai pode escolher de acordo com o conhecimento da criança ou mesmo com suas próprias preferências.

Ainda com relação à escolha do tema, eu sou pouco conservadora e pouco afeita a modismos. Por exemplo: quando meu filho mais velho fez 3 anos, estava numa faze que assistia Dinotrem 15 vezes por hora, quase todas as horas do dia se eu permitisse, pediu a festa do Dinotrem, claro! Eu conduzi sua escolha para um tema que me deixasse mais livre para criar: dinossauros.

Mas antes que me chamem de Malévola das festas infantis, os personagens do desenho estavam presentes no bolo. Pronto! Todo mundo feliz! Há alguns dias comemoramos seu 6º aniversário ele queria o tema Vingadores. Apesar de gostar do filme, acho esse nome um pouco pesado para uma festa de criança. Negociamos (sim, porque agora precisamos negociar; ele já é um rapazinho cheio de argumentos) e chegamos ao tema Super-heróis.

Criamos um nome de super-herói pra ele, com símbolo, super-poderes, capa e tudo o que um super-herói tem direito! Ele gostou muito mais que se tivéssemos feito dos Vingadores, porque ele estava envolvido!

O meu do meio escolheu um tema um pouco difícil, mas que me deixou com os olhos brilhando de alegria em fazer: E.T. – O ExtraTerrestre. Sim, o filme! Dessa vez não adequei o tema, mas viajei nas referências e elementos do filme: telefone, bicicleta, plantas, ecologia e, claro, o simpático E.T.! Ficou tudo lindo e ele todo feliz!

Eu botei a mão na massa em todos os casos acima descritos, do começo ao fim, assim como o marido, as comadres (não basta ser madrinha, tem que trabalhar junto!), avós, tias e, claro, as crianças! Eles colam adesivos, colocam coisas nas sacolinhas, dão palpite nas cores e desenhos, carimbam, desenham, ajudam, mas também atrapalham, sujam, amassam, estragam coisas, e se divertem horrores!

Mas, como já disse, sem estresse! Se você não tem jeito pra essas coisas, foque na escolha do tema junto com a criança, contrate profissionais e peça pra ir vendo o processo junto com a criança (convites, lembrancinhas, itens que farão parte da decoração etc). Aprovar os detalhes também é participar!

Algumas dicas para quem quer organizar a festa por conta própria e com ajuda das crianças:

1 – Comece com antecedência, para dar tempo de fazer tudo do jeito que vocês sonharam. Mas sem exageros, por favor! Não precisa começar a planejar a festa de 4 anos assim que terminar de abrir os presentes da festa de 3 anos! 3 meses é um bom número;

2 – Contrate profissionais com procedência (indicação de familiares, amigos ou de outros profissionais de sua confiança). Nada pior do que um monte de crianças na festa, nada do pula-pula ou do recreador contratados chegarem e você sem nenhuma outra opção de entretenimento infantil planejada! Já vi isso acontecer e, acredite, é desesperador! Ou seja: sempre tenha um leque de brincadeiras na manga para uma emergência desse tipo;

3 – Nunca, nunquinha (eu disse NUNCA mesmo!), pergunte a opinião da criança sem lhe dar opções de escolha (2 a 4, no máximo). Do contrário, vocês começarão planejando a festa de 3 anos e só vão conseguir terminar no baile de debutante;

4 – Crianças cansam rápido. Se você tem 50 sacolinhas pra montar, ela quer participar, mas desiste na 5ª. Aceite, é o melhor que você faz! Vai por mim: você vai preferir a criança brincando feliz do que destruindo todas as sacolinhas porque está irritada. Faça da festa uma brincadeira. Pra adultos e crianças;

5 – Não seja perfeccionista! Se seu filho está todo orgulhoso de um desenho que fez para usar na festa, ou se colou metade dos adesivos do brigadeiro de copinho de cabeça pra baixo, use o trabalho dele na festa! A festa é dele! Deixe que se divirta do jeito dele e que coloque sua assinatura na festa. No final, tudo o que vocês irão lembrar é o quanto ele ficou feliz com a comemoração.

Boa brincadeira, boa festa e até a próxima!

Assinatura Virginia

Comente, compartilhe! :)