Carreira, maternidade e madrastidade: como eu concilio

Carreira-maternindade-e-madrastidade

Em um momento metade “Duro de Matar”, metade “Um dia de fúria”, tratemos objetivamente do Conciliator Tabajara de carreira, maternidade and madrastidade.

Referido equipamento foi desenvolvido no Vale do Silício lá de casa, em plataforma de crowdfunding e, uma vez implantado na mãe-madrasta-irritadíssima-aiseeutepego, permite que ela, além de trabalhar pelo menos 08 horas por dia fora de casa, atenda (NA MEDIDA DO POSSÍVEL) a demanda de todos os seus clientes internos: marido; mãe; filha bebê; enteado menino; enteado adolescente; colaboradora que atua da manutenção da residência; colaboradora que atua no setor de crianças.

Funciona como o Richard Parker do Life of Pi; te assusta, mas te põe prá frente e te faz chegar lá.

Graças ao dispositivo:

– não morri de tristeza por estar viajando a trabalho quando a Vivi ficou doente pela primeira vez, nem por também estar viajando quando ela levantou sozinha;

– consigo dormir muito menos do que gostaria sem ficar com o humor do capiroto;

– entendi que me cuidar é tão prioritário quando cuidar da família (carreira, terapia, corrida, treino, cinema, happy hour com as zamiga, beauté…);

– aprendi a pedir ajuda (embora ainda não tenha aprendido satisfatoriamente a ser ajudada);

– digo, na boa: hoje não vai dar (tanto prá mim quanto para todos os meus clientes internos);

– choro menos quando o dia termina e vejo que gostaria de ficar em casa muito mais do que fico;

– ainda que com o coração apertado, dou um beijo e saio para trabalhar todos os dias, mesmo com a Vivi chorando, por acreditar que toda criança precisa saber que nenhum ser humano está à disposição 24 horas por dia, nem mesmo a mãe;

– me conformo por não poder levar o Mateus à natação, nem poder atender a chamados das mais variadas natureza durante o expediente;

– aceito que a administração doméstica tenha muitos gaps (falta queijo, sabão em pó, pão; as refeições não são as mais saborosas do mundo; a roupa não é milimetricamente passada);

– ainda que soe como suicídio corporativo, não almejo mais o cargo de presidente-mundial-universal-intergaláctica de qualquer Companhia;

– mantenho um setor de administração de crises atuante, que dirime a maioria dos conflitos entre mim e mim mesma.

Falha do dispositivo: não consegue arrebatar a invejinha branquinha que tenho das full time moms. Talvez porque não seja invejinha, mas pura admiração.

Fato é que o equipamento em questão, aliado ao Evernote, faz com que a minha vida funcione: não da forma ideal, mas da forma possível; provavelmente não da forma que todos gostariam, mas da forma que eu consigo.

GLOSSÁRIO

Conciliator Tabajara de carreira, maternidade and madrastidade = AMOR (próprio, de mãe, de esposa, de filha, de madrasta e de amiga).

Bianca.

bianca@naoeamamae.com

Instagram: @blognaoeamamae

No facebook: Blog Não é a Mamãe!

Comente, compartilhe! :)