Comemorar o aniversário da filha é…

Vivi 1

Uma delícia! Curti demais todas as festas que fizemos para os “nossos” meninos, mas, muito honestamente, comemorar o aniversário da Vivi foi uma loucura.

Fiquei vários dias envolvida emocionalmente com a data, revivendo a gravidez, o nascimento, vendo fotos, conversando com o PD3… Chorei muito, tanto de felicidade como de alívio.

Felicidade por motivos óbvios. Era o aniversário de uma pessoa que saiu de mim, literalmente. Alívio porque o neonatologista da Vitória foi muito claro ao dizer que a minha gestação só terminaria quando a Vivi completasse um ano. Somente nessa idade seria possível afastar a existência de qualquer sequela decorrente da prematuridade. Enfim, eu pari! : )

E esse parto foi ótimo! Planejado, indolor e sem hospital!

Comemoramos por dias, como se não houvesse amanhã. Enchemos a mocinha de presentes, sem qualquer preocupação em deseducá-la; fizemos uma festinha em casa (da Galinha Pindadinha, claaaaro); um piquenique no parque (com flores e joaninhas); ela comeu brigadeiro, foi fotografada em todos os ângulos sem ser incomodada e tomou guaraná.

2

E o mais legal at all: reunimos novamente a família. Meu pai, minha mãe e minha irmã vieram prá cá e passaremos uns bons dias juntos, brigando e fazendo as pazes sem parar. : P

Continuo achando festinha em buffet infantil um saco. Mas comemorar o aniversário da nossa Vivi deu uma boa movimentada nos meus conceitos preestabelecidos sobre maternidade. À cada dia aumenta o meu percentual de cafonice, proporcionalmente aos momentos de suprema felicidade.

3

E a mãe que não queria exageros nas festividades do primeiro ano da filha fez duas festas leeeeeeandas, tirou 92569236592653 fotos, comprou váááários brinquedos e deixou a criança agitadíssima, de tanta alegria.

Pois é. Sou outra Bianca, pronta para ouvir um “eu te disse” das amigas que me ouviam vociferar que é um absuuuurdo o que fazem nos aniversários dessas crianças hoje em dia.

Como diria Irmã Zuleide: oremos.

Beijos,

Bianca.

bianca@naoeamamae.com

 

******************

Para as boadrastas, uma dica de quem está no cargo há quase 07 anos:
No dia do aniversário, a criança deve ficar com a mãe. Os papais que me perdoem, mas acho certo. Na data mesmo, que tal um almoço rápido? Outro dia vocês comemoram, sem hora prá acabar, da forma que quiserem… Mãe é mãe. E não passamos a pensar desta forma depois que tivemos Vitória; lá em casa sempre foi assim.

 

20130218-151912.jpg

Comente, compartilhe! :)