Culpa, não!

 

Notas mentais desta sexta-feira, beeem cedo:

– Você não está tão irritada assim.

– A pessoa que tem um blog sobre família e amor não pode ter um coração que comporte tanta raiva a esta hora da manhã.

– Eleve o pensamento, vai.

– Você faz terapia há anos.

– Melhore sua cara e passe o seu Lady Danger.

Pois é, queridos. Nem tudo são flores e, por vezes, a esposa-mãe-boadrasta-madrasta se irrita por demais.

Ontem cheguei ao doce lar “tarde da noite”, aproximadamente 09:00pm. Abro a porta da sala e todos me olham, com uma cara séria, perguntando por onde eu andava. PD3, ousado que é, olha prá minha mãe e diz: tá vendo, D. Suely, como ela não estava no trabalho? Estava malhando!   :  O

Fato é que, em função dos comentários, a pessoa ficou triste, achando que tinha cometido uma falta grave: priorizar-se.

Entrei na onda mesmo, sentindo uma super culpa porque:

– Ao invés de correr prá casa após o trabalho, fui malhar;

– Ao invés de ir ao supermercado, fui jantar um sushi all by myself;

– Ao invés de fazer as compras de Natal da família, fiz compras prá mim.

E fiz isso tudo sem avisar!!!

Para que não haja mais surpresas, segue nota de esclarecimento aos queridos moradores fixos e flutuantes da minha casa (marido, dois enteados, uma filha, minha mãe,  uma gestora de residência e uma executiva de crianças):

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Amada-Titia-Mamãe-filha-empregadora tem limite e hoje vai, após o trabalho, MALHAR DE NOVO! Depois, vai sair com o PD3 e VOCÊS NÃO VÃO! E se o PD3 não for, MAMÃE VAI!

Entrei no movimento e dele não saio: culpa, não! 

Beijos,

Esposa-Mamãe-Titia amotinada.

bianca@naoeamamae.com

Comente, compartilhe! :)