Distanciamento entre madrasta e enteada

O que fazer?

“Sou madrasta há 03 anos. Minha enteada reside com a mãe e de 15 em 15 dias passa os finais de semana com meu namorado. Desde o início do relacionamento minha enteada e eu nos demos muito bem.

Entretanto, percebi que a situação para a criança não era nada fácil na casa materna. Ela sofre alienação parental, pois, com perdão da expressão, a mãe engravidou para dar o golpe da barriga, todavia, como não conseguiu se casar com a pai da criança (meu namorado) como pretendido, a todo momento distorce a figura paterna e dos avós com a criança.

Como a família de meu namorado tem uma condição financeira bem melhor que a da mãe, não deixam faltar nada para a criança e arcam com todos os gastos, mesmo assim, a mãe mandava a criança destruir objetos na residência paterna, bem como veículos, bem como mandava que não obedecesse a ninguém, dentre outras coisas.

Tentei orientar meu namorado a levar minha enteada a um psicólogo, sem êxito. Neste período de convivência fui vivenciando situações que não eram ideais para uma criança e sempre tentei conversar com meu namorado a respeito; porém minha sogra sempre intervém e ele acaba sem me dar ouvidos.

Hoje minha enteada conta com 05 anos. O comportamento dela é altamente sexual para a idade (parece uma criança de 10 anos). Sempre que estou presente percebo que a minha enteada não respeita o pai e os avós, fazendo falta de educação, respondendo, e quando não é prontamente atendida no que quer faz pirraça. Meus sogros (que são ótimas pessoas para mim) não permitem qualquer tipo de correção para com a criança.

Argumentam que passam muito tempo longe dela e que a forma que encontraram de compensar é comprando tudo o que a criança pede quando está com eles, fazendo todas as vontades, e não corrigindo, porque dizem que já passam tão pouco tempo com ela que vão corrigir? vão bater? não podem fazer isso.

Diante destes vários acontecimentos, e por ter uma noção de educação e minha criação foi bem diferente desta, acabei me distanciando da minha enteada. Não sinto mais nenhuma satisfação em estar com ela, pois sei qual será o mau comportamento que terá; e isto tem acarretado muitas discussões entre eu e meu namorado, que não entende meu ponto de vista, por mais que eu seja sutil ao falar, aconselhe a procurar um profissional, dentre outras coisas.

O comportamento da minha enteada já está, de certa forma, incomodando outras pessoas da família dele e amigos da família também, que dizem preferir não ter muito contato com a criança por se sentirem  desconfortáveis com seu comportamento, e  os avós não aceitam que se fale coisa alguma.

Para “agravar” minha situação, estou grávida. O que foi bem aceito por ambas as famílias. O problema é que agora mais que nunca quando faço algum comentário com meu namorado, ou se já não consigo tratar minha enteada como antes, meus sogros dizem pelas minhas costas que estou assim só porque estou grávida, como se eu estivesse competindo minha gravidez com a filha já nascida, o que não é verdade.

Vi nos seus posts sobre seus enteados, que são carinhosos e amáveis com você. O que fazer quando a situação não é esta? E quando você já não consegue mais conviver direito com a criança?

O desabafo é grande, mas a angústia é muita”.

Família

15% de mim quer te dizer: mantenha distância dos problemas que fogem ao seu controle, cuide da sua gestação e do seu relacionamento.
85%  pensa que sua enteada não é responsável pelo próprio comportamento e que qualquer pessoa próxima que tenha condições de ajudá-la deve ajudar. Mas essa pessoa é você?
A inadequação comportamental é responsabilidade dos pais. Veja bem: não estou falando de culpa, mas de responsabilidade. Entretanto… Se os pais não estão lidando com a situação como deveriam, por que não tentar se reaproximar?

Entendo que você não tenha mais tanto prazer na companhia da sua enteada e que o mais confortável seja se afastar. Mas… Essa gravidez te encherá de amor à cada dia, mais e mais, infinitamente.

Você deseja uma família feliz, como a da ilustração fofinha acima, e sua enteada é parte dessa família. Deixe o amor tomar conta e, naturalmente, vocês se reaproximarão.

Cuide da irmã do seu filho. Não importa o procedimento do pai, da mãe ou dos avós. Faça a sua parte. Se sua parte for ser chata, seja. Sua enteada é crescida o suficiente para perceber que você estará “sendo chata” por se importar com ela. Criança precisa de amor, de limite e de “chatice”. Isso eu posso garantir!

E digo mais: seu filho(a) vai amar sua enteada! Você se emocionará ao ver como o seu bebê agitará de felicidade ao ver a irmã sempre que ela voltar da casa da mãe.

Você vai conseguir. Sigam juntas, boadrasta e enteada, do jeito que der. Certamente as coisas não serão como você deseja, mas tudo pode melhorar.

Muito amor para esta família que está crescendo.

Beijos,

Bianca.

bianca@naoeamamae.com

Instagram: @blognaoeamamae

No facebook: Blog Não é a Mamãe!

Pra conversar: Grupo de Mães e Madrastas

Comente, compartilhe! :)

7 Respostas para “Distanciamento entre madrasta e enteada”

  1. Carolina

    Infelizmente vivo algo parecido com meu enteado, que já tem seis anos. É péssimo, pois sei que ele sofre muita influência da mãe que pratica alienação, mas a própria criança que se comporta mal, responde aos ensinamentos na nossa casa num primeiro momento e logo depois repete tudo de errado, que não tem a ver com alienação, mas mal comportamento mesmo. Por causa disso perdi o prazer ter contato com ele e fazer coisas que o agradem. Ajuda meu noivo em tudo relacionado a ele na nossa casa, mas faço pelo meu noivo, por que vejo nele um bom pai e o esforço para educar o filho, mas pelo enteado não tenho tido a mesma empatia. Espero que essa moça tenho uma gravidez tranquila e feliz e que possa superar esses problemas. Talvez quando o casal estiver em sua própria casa as coisas melhorem.
    Beijos

    Responder
  2. Patricia Matos Dias

    Nossa vivo quase a mesma situação,minha enteada faz de tudo pra me provocar e me colocar contra o pai dela (meu namorado) e ela é o xodo de todos super preciso de dicas também de como lidar com ela afinal penso em me casar com meu namorado e irei ter que conviver com ela.Me ajude Bianca estou desesperada com medo de perder meu amor por causa da minha enteada de não conseguir se aproximar dela. E para ajudar as irmãs dele me colocaram contra a menina.

    Responder
  3. Helena

    Vivo exatamente esta situação hoje em dia….minha enteada está cada dia mais ´malcriada e me respondendo, pois a mãe sentia ciumes pelo fato de ela gostar de mim, e foi enchendo a cabeça da menina (de 7 anos) contra mim. Estou gravida de pouco tempo e tentando levar uma gestação tranquila, fazendo o maximo q eu posso, pois ja perdi um. Mas não consigo estar tranquila qdo ela está. Já entro em panico so em saber q o fim de semana q ela vem ficar conosco esta se aproximando. Estou desesperada e sem saber q rumo tomar.

    Responder
  4. Clarissa

    passei por essa situação e digamos que estou saindo dela desde ontem. tenho 2 enteadas, meu marido é separado há só 6 meses e a situação é delicada. uma tem 3 anos e a outra 7. A de 7 repete TUDO que a mãe fala, por isso sabemos sempre quando ela é ela mesma ou não. Percebemos muito medo de falar o que realmente quer. Eu e elas sempre tivemos bom relacionamento… mimo bastante elas porque as amo mesmo. Mas, por ela ser mal-educada com o pai, querer ter sempre a ultima palavra, acabei decidindo por me distanciar no final do ano. O problema só aumentou: ela começou a não querer mais ficar conosco, chorava (manha pura – de apertar os olhos pra cair lagrima) quando era dia de dormir conosco e foi assim durante as férias, ate semana passada. Ontem a mãe dela me ligou (pasmem!) e pediu ajuda, pois a menina disse que não quer mais dormir lá porque eu estou tratando ela diferente. Prometi, obviamente, mudar, pois amo elas e vejo o quanto meu marido também sofre longe delas. Gente, foi uma noite completamente diferente. Ela dormiu no meu colo, no sofá da sala, assistindo tv. Ligamos pra mãe dela ao meio-dia pra ver como foi que ela reagiu, e ela disse que foi super tranquila e que voltou feliz.
    Acho que não há opção entre enteados e madrastas: viram família, todos tem que se tratar bem. Se todos amam o homem em questão, irão fazer dar certo esse relacionamento, mesmo que tentando e as vezes errando, como fiz.
    Seu blog é super importante pra mim. Obrigada!!!

    Responder
  5. Aline

    Oi pesoal me super identifiquei, vejo não sou aúnica. Eu tambem estou passando pelo mesmo problema. Minha enteada tem 6 anos e eu com uma gestaçao ja de quase oito meses. Preciso muito de conselhos. Antigamente a menina passava falando q preferia q eu fosse amae dela e nao a propria e agora q estou chegando ao fim da gravidez esta insuportavel pode ser ciumes sim mas nunca a tratamos diferenteso porq vai ter uma irma. A minha casa se tornou um campo de guerra ja quase nao falo cm meu marido, a menina como sempre vem todos os finais de semana faz pirraça chora me responde mal e eu passo nervosa cada vez q vem pra cá. Preciso muito de conselhos. Como mudo essa situacao? Amo muito meu marido e nao gostaria estar longe dele agora q vem uma nova vida. Q faço?? Obrigada e beijos

    Responder
  6. paula

    Gostaria de uma orientação conheci meu marido a 7 anos e já no segundo encontro foi me contando toda sua vida, inclusive de seus relacionamentos que inclusive 2 deles ele tem 2 filhas na época uma de 11 e outra de 4 anos. A mais velha morava com a mãe e a mais nova tinha perdido a sua no parto. No começo do relacionamento de cara a mais nova já se afeiçoou a mim e eu a ela e depois que fui morar com seu pai, depois de alguns meses já me chamava de mãe e eu a tenho como filha. Já a mais velha é bem complicado uma vez que ela nunca me aceitou, sempre que podia ia ao meu armario destruir minhas coisas, pegar coisas sem pedir e depois dizer que não as tinha feito, sem que pouco depois descobrimos nas coisas dela. Hoje em dia temos um relacionamento super distante, nós mal nos falamos, somente o estritamente necessário e isso está abalando meu relacionamento. Gostaria de saber o que fazer para não mais me estressar com meu esposo sobre isso.

    Responder
  7. jacilene

    Passo por isso a quase dez anos,meu enteado sempre fez de tudo para me separar do pai junto com a mãe dele. Quando o conheci ele tinha 7anos e eu tenho um filho de outro relacionamento, que na época tinha 2 anos,meu enteado batia nele e falava pra mim que sua mãe tinha mandado e o pior de tudo é que meu marido não falava nada e isso me magoava muito.Hoje ele já tem 15 anos mas as coisas só pioram,não consigo mais olhar na cara dele,ele me desafia e eu bato de frente com ele, ele é tão dissimulado que até minhas irmãs ficaram contra mim e trata ele como um coitado e eu como uma louca.Meu marido e eu tivemos um filho juntos e isso incomoda meu enteado e também sua mãe. Vou me separar não aguento mais essa situação que já dura quase 10 anos e meu marido não procura tomar uma atitude é salvar nosso casamento.O que meus familiares não entenderam é que sonho em ser feliz nem que para isso tenha que abrir mão do meu casamento.

    Responder

Deixar uma Resposta