O acompanhamento fisioterapêutico no pré-natal e durante o parto

Bianca

Iniciarei minha preparação para a segunda gravidez antes mesmo da concepção, com o desejo de ter uma gestação diferente da primeira: sem sangramentos, sem medo, sem repouso absoluto, sem parto prematuro, com muita consciência corporal e equilíbrio emocional. Não existem garantias, não é verdade? Mas procurarei fazer a minha parte.

O acompanhamento médico será de vital importância, mas também contarei com uma equipe multidisciplinar que certamente contribuirá para uma gestação mais tranquila. Tudo que a gente quer, né? Tranquilidade para gerar nossas crias por, pelo menos, 38 semanas.

Segundo o fisioterapeuta do Espaço Sandra Fluhr, Dr. Alexandre Delgado, especialista em fisioterapia obstétrica, o atendimento fisioterapêutico no pré-natal traz inúmeros benefícios para a gestante.

A fisioterapia atua com foco educacional e físico durante a gestação. O objetivo, nesse caso, é favorecer uma melhor qualidade de vida para a gestante e preparar a musculatura do assoalho pélvico (períneo) para o parto, melhorando a elasticidade e força muscular perineal. Além disso, auxilia na prevenção da incontinência urinária e fecal e dor na relação sexual.

Segundo Alexandre, as sessões são realizadas através de exercícios físicos específicos e não invasivos. “Os atendimentos devem ser iniciados a partir do segundo trimestre da gestação. Cada exercício é traçado de modo a obedecer as particularidades de cada fase gestacional e os objetivos individuais de cada gestante, seja sua preferência para o parto normal ou cesariana”, explica o fisioterapeuta.

Além disso, o profissional auxilia na prevenção de edemas, varizes e dor lombar e da cintura pélvica através de exercícios e drenagem linfática. Algumas técnicas aplicadas por esse tratamento, como os exercícios respiratórios, técnicas de relaxamento, massoterapia, orientação com a postura, dentre outras, auxiliam a gestante para que a gravidez seja vivenciada com total bem-estar.

Saindo do pré-natal, os benefícios também se estendem a um acompanhamento durante o trabalho de parto. Nessa situação, o fisioterapeuta tem a importante função de orientar e conscientizar a mulher para que ela desenvolva confiança em relação ao próprio corpo. As técnicas aplicadas à parturiente proporcionam conforto, alívio da dor e relaxamento. Só coisas boas, gente! :)

bianca@naoeamamae.com

Instagram: @blognaoeamamae

No facebook: Blog Não é a Mamãe!

No Huffpost Brasil: Bianca Spessirits

Comente, compartilhe! :)