Os riscos da obesidade durante a gravidez

obesidade na gravidez

De acordo com estudos recentes da City University London, Trinity College Dublin e da University of Gothenburg, publicados no periódico Obesity Reviews, para evitar complicações, mulheres devem tratar a obesidade e perder peso antes de engravidar.

A obesidade materna (que ocorre quando se tem um IMC de 30kg/m2 ou superior ao iniciar a gestação) coloca a gestante e o bebê em risco significativamente superior quando comparados com mães que engravidam com um peso saudável (IMC entre 18,5 e 24,9 kg / m2).

Problemas como diabetes gestacional, pressão alta, pré-eclâmpsia e depressão são muito mais comuns em mulheres grávidas com obesidade, assim como parto prematuro, defeitos fetais, anomalias congênitas e morte perinatal.

Destaque-se, ainda, o fato de que também há maior incidência de interrupção precoce da amamentação em muheres com obesidade, em comparação com mulheres de peso saudável.

Os pesquisadores analisaram um total de 573 estudos, os quais investigavam a saúde da mãe e do bebê em condições normais e na ocorrência de sobrepeso materno.

Dr Ellinor Olander, autor do estudo, além de alertar sobre a gravidade do problema, deixou claro que é muito importante não estigmatizar mulheres em função de seu peso.

Estamos com o senhor, Dr. Ellinor!! Trata-se de uma questão de saúde pública importantíssima, mas sabemos que ninguém mais que a própria mulher deseja um pré-natal de baixo risco.

As mulheres devem receber informação e suporte para que tenham uma gestação saudável, considerando não somente o sobrepeso ou outros fatores de risco, mas sobretudo o direito fundamental à atenção pré-natal e puerperal de qualidade e humanizada.

Time Não é a Mamãe!

Instagram: @blognaoeamamae

No facebook: Blog Não é a Mamãe!

Pra conversar: Grupo de Mães e Madrastas

Comente, compartilhe! :)