Prá que servem os livros após a maternidade?

Utilidade 1: produção de fotos fofas
Utilidade 1: produção de fotos fofas

De acordo com o #PD3, não tive infância (porque eu lia, desenhava e tocava piano).  Se infância é correr na rua, quebrar o braço e subir em árvore: não tive. Mas se infância é curtir um mundo de fantasia com você mesma, seus livrinhos, instrumentos musicais e nenhuma boneca: tive.

Darwin

Deixando de lado a criança estranha que fui, fato é que sempre devorei livros. Filha de humanistas (mãe socióloga; pai sociólogo, teólogo e filósofo), não poderia ser diferente.

Mas aí virei mãe. Se antes minhas leituras objetivavam fazer de mim um ser humano melhor, hoje o que desejo é fazer das minhas crias sereszinhos melhores. Antes os livros alimentavam minha alma (que profundo!); hoje, são manuais que me auxiliam nas várias etapas do complexo processo de geração de adultos saudáveis. Sartre <3 Simone

Meus companheiros do período neolítico (ano MMXI, precisamente) foram Sartre, Simone e Darwin.

Se o dia tivesse 72 horas, além de leitora voraz eu seria um acontecimento (de tão linda) AND proprietária de um corpo pura massa muscular. Como só tem 24h mesmo, não vou mostrar aqui meu corpitcho, mas meus livros de cabeceira. #mecritiquem

Desenvolvimento infantil

Encantadora de bebês

Talvez um dia role um rehab literário. Talvez não. Enquanto isso, a utilidade número 2 dos livros é: me fazer uma mãe melhor.

Beijos,

Bianca.

bianca@naoeamamae.com

Instagram: @blognaoeamamae

No facebook: Blog Não é a Mamãe!

Comente, compartilhe! :)