Síndrome mão-pé-boca: muito prazer SQN

Mão pé boca

O almoço do Dia dos Pais foi em Aldeia, na casa da Tia Carol. Pela primeira vez em seus longos 18 meses de vida, a Vivi brincou no chão, na grama, na areia… Soltinha da silva. Chupou uma pedrinha dessas aí da foto, meteu a mão na boca do cachorro e lambeu, tomou água da piscininha, tentou atacar um gato…

Resultado: na segunda à noite, febrão. Na terça durante o dia, febrão + baba (muuuuita baba). Na madrugada de quarta, febrão + baba + pintinha nos pés e nas mãos + aftas na garganta.

Que ¨$&%#&%#&# é essa? Síndrome mão-pé-boca. Uma virose. Pega como? Ingestão do vírus (chamado Coxsackie) por mãos MUITO sujas. Tem esse nome porque as áreas mais afetadas são as mãos, os pés e a boca (garganta).

Essa mãe poliana wannabe aqui tá feliz (médio), porque essa virose é resultado do seguinte: a Vitória saiu da bolha. Com a asma controlada, ela vai poder sair por aí e conhecer vírus, bactérias, perebinhas etc e tal. Como é o nome disso? Vida normal.

Como tratar: controlar a febre, oferecer muito líquido e dar muito colo. A garganta dói… Ela geme até dormindo, gente.

Sugestão: não dar um google na síndrome. As imagens não são boas de se ver. Aos que desobedecerem, fiquem calmos: a da Vivi foi fraquinha e foram poucas as pintinhas vermelhas, que graças aos céus não infeccionaram.

A febre já passou. Restaram as aftas e uma mãe que não dorme há três noites.

Bianca.

bianca@naoeamamae.com

Instagram: @blognaoeamamae

No facebook: Blog Não é a Mamãe!

Comente, compartilhe! :)