Uma brinca de casinha; o outro amarra o cadarço

Na Semana da Criança, dois individuoszinhos atingiram importantes marcos do desenvolvimento:

– Vivi (1 ano e sete meses) brincou, por mais de 20 minutos, com os mesmos brinquedos e sem colocar a casa de cabeça para baixo. O que isso significa? Que ela está conseguindo se concentrar cada vez mais em uma mesma tarefa!

– Mateus (7 anos) aprendeu a amarrar os próprios sapatos! O que significa? Que ele é um menino fofo, que domina os cadarços e está crescido demais para o meu gosto.

Agora vamos às metodologias científicas utilizadas para o implemento dos ganhos em análise.

Vitória sempre ficou na sala, à vontade, com muitos brinquedos à disposição. Assim, ela espalhava todos, se entediava, parava de brincar e pedia para assistir Xaxu (Xuxa só para Baixinhos, do volume I ao MMMDXIII).

Confiscamos grande parte dos brinquedos e deixamos somente 3 opções ao alcance dela: um joguinho de chá, uma casinha e uma banheira de boneca. Resultado, ela brinca por quase meia hora; se entendia, sobe no sofá, escala a mesa de jantar e depois… Volta a brincar.

Todas as manhãs, antes de ir para a escola, o Mateus nos pedia ajuda para amarrar os cadarços do tênis. Achávamos que ele já estava pronto para fazer isso sozinho, mas estava faltando aqueeeele incentivo.

Compramos um tênis de madeira e tarãããããã! No dia seguinte ele já sabia dar o tal laço/nó. Vejam a carinha dele de felicidade, no vídeo, ao terminar de amarrar o sapato…

Criança aprende brincando, literalmente.

Bianca.

bianca@naoeamamae.com

Comente, compartilhe! :)